© 2016 por Chalés TUCANO. Todos os direitos reservados.

Desenvolvido por

Os primeiros anos foram pioneiros: luz de vela, lampião de querozene, geladeira a gás ou querozene. Somente das 20 às 22 horas chegava luz elétrica, produzida pelo gerador do Sr. Werner Grinberg, fundador de Monte Verde. 

Água quente a gente produzia pelo fogão à lenha com serpentinas de ferro embutidas. 

Quando cheguei em Monte Verde, contei 60 casas na região central. Sábado de manhã o pessoal encontrava-se na Avenida Monte Verde, com leiteira na mão, para buscar leite, manteiga e ricota da fazenda, que a Dna. Emília, esposa do Sr. Werner, vendia.

Havia poucas casas para alugar. Na Avenida da Mantiqueira, onde hoje existe o Hotel Pousada do Esquilo, ficava o primeiro hotel de Monte Verde, de propriedade do Sr. Werner e da Dna. Emília, sob direção de Dna. Emília. Na cozinha do hotel, tinha um enorme fogão à lenha. De noite, os hóspedes se reuniam em volta do fogão.

Além das reformas e aumentos da casa sede, construí uma lavanderia que logo aumentou e virou casa do caseiro com áreas de serviço. 

Na lateral da casa sede, no 2º andar, funcionou entre 1971 e 1985 o "Minibazar Tucano". 

O Monte Verde do Sr. Werner, cada vez mais, começou a ser procurado pelos paulistanos e gente de outras cidades grandes, em parte de origem européia. O desenvolvimento foi bem forte a partir de 1980. Comprou-se muitos terrenos e construía-se muitas casas. ...

Na Rua Rolinha, funcionava a primeira "pousada", a pensão da Dna. Marta Abols. Na época, era o único lugar para almoçar fora. O almoço era delicioso.

A "Casa de 3 Andares" era muito feia, sem proporção nenhuma, mas de boa construção. Troquei janelas, portas, azulejos, pisos, escadas, tetos e entradas. Reformei os banheiros e coloquei revestimento de madeira em algumas paredes.

Aos poucos, construí tantos aumentos em volta do núcleo existente que não se vê mais nada da casa antiga. 

No jardim, criei diversos níveis para compensar a grande caída do terreno. Fiz muros de pedra, largas calçadas e escadas.

O primeiro chalé para alugar era o "Tucaninho" no térreo da "Casa de 3 Andares", que agora já era "Casa Séde". 

A história do Chalés Tucano começa em dezembro de 1964 com uma casa grande, conhecida pelo nome  "Casa de 3 Andares"...

Por Herna Irmgard Heidemann, primeira proprietária do Chalés Tucano

...Em 1980, terminei o chalé duplex "Seladinho/Pedra Partida" e também um reservatório de água para garantir a pressão de água dos aquecedores a gás. Logo surgiu a necessidade de uma ampla entrada de carro para esta parte do terreno. 

Em 1993, saiu a primeira edição do "Guia Turístico e Informativo de Monte Verde". Na página 11, constava um anúncio dos "Chalés Tucano", de página inteira. 

Em 1998, nasceu no "terreno de cima" o chalé "Bonecas". No lugar, já tinha uma lavanderia grande que foi aumentada e reformada para ser chalé. 

Em 1999, foi feito o chalé "Azulão", reformando e aumentando uma churrasqueira bem grande que existia no mesmo "terreno de cima".

Junto com as construções principais, surgiram obras de apoio: depósitos, lenheiros, dispensas, mais dois reservatórios de água etc. 

Para poder  acompanhar o movimento do turismo em geral tive que entrar na "onda do melhor café da manhã". A churrasqueira do "terreno de baixo" com área de entrada do "Tucaninho" - que originalmente era a primeira garagem da casa sede - foi aumentada, reformada e virou "Salão do Café". 

A última obra que fiz foi a garagem para 3 carros na entrada principal, em 1999.

Alguns detalhes, como as casinhas de pássaros e os Tucanos de madeira pendurados na coluna de madeira da entrada principal, chamaram a atenção e ajudaram-me a encontrar um novo dono, que amou tudo à primeira vista. 

Quando cheguei, tinha bastante campo em volta da "Casa de 3 Andares". Via-se pássaros diferentes, corujas e às vezes tucanos. Os tucanos sumiram para o mato, mas o nome ficou.

Dna. Emília e Sr. Werner Grinberg, fundadores de Monte Verde